quinta-feira, 29 de setembro de 2011

CLUBE DO GIBI

Apresenta: Histórias em quadrinhos.


Histórico da “Turma da Mônica”:

       A Turma da Mônica é uma das histórias em quadrinhos mais conhecidas do mundo inteiro. Escrita pelo Maurício de Souza, esta história surgiu no ano de 1959.
 

O tipo de história em quadrinhos que ele apresenta fala sobre: amizade, alegria... Ele apresenta uma história muito legal que faz qualquer pessoa viajar nas histórias em quadrinhos.
 
O avatar (personagem) principal é a Mônica, por isso, foi criado o titulo “Turma da Mônica” que hoje em dia é muito famoso.
PERSONAGENS:

·       Chico Bento;

·       Rosinha;

·       Nhô Lau;

·       Zé Lelé;

·       Bidu;

·       Bugo;

·       Manfredo;

·       Duque;

·       Horácio;

·       Tecodoente;

·       Lucinda;

·       Penadinho;

·       Dona Morte;

·       Zé Vampir;

·       Frank;

·       Canícula;

·       Muminho;

·       Zé Finado;

·       Pixuquinha;

·       Lobisomem;

·        Etc.

       Você sabe que a história que mais faz sucesso do Maurício de Souza é a “Turma da Mônica Jovem”, que surgiu no ano de 2008.



Depois dessa idéia de criar a turma da Mônica jovem a turma fez mais sucesso ainda.





Criado por: Vitória O. B33 e Nycolle O. B21.


sexta-feira, 23 de setembro de 2011

George Orwel x Dias Atuais

George Orwel fez uma adaptação da Revolução Russa em Revolução dos Bichos, mostrando de uma forma mais fácil para entender.
Após a morte do velho Major, que pode ser associado a Nicolau II (czar), Snowball assume o poder junto com Napoleão. Eles implantam o animalismo, um modo de viver único, onde todos sao iguais; mas os porcos se sentiam superiores aos outros animais da fazenda, pois eles sabiam ler e escrever. Então, eles assumiram o poder. Começaram a ter privilégios que os outros animais não tinham. Eles começaram a se comportar como humanos, bebiam, assistiam televisão e dormiam em camas. Napoleão mandou matar Snowball, pois estava subordinando os outros animais. Bom, era como se fosse hoje: um típico trabalhador brasileiro, que trabalhou até a morte e morreu sem assistência médica.
Algumas coisas podem ser adaptadas ao nosso governo hoje, como os porcos que tinham privilégios, luxos que o povo não tem. Os porcos podem ser os nossos políticos que deixam as pessoas trabalharem até não aguentarem mais e depois negam um plano de saúde e botam na fila do SUS, enquanto os politicos tem os melhores convênios, nos melhores hospitais. A Revolução Russa teve um fim, mas deixou marcas que não podem ser apagadas.


Bianca Vasconcelos,  turma C32

Avaliação do passeio para divulgação da Feira do Livro

A divulgação da Feira do livro foi um sucesso, com pessoas que se esforçaram bastante, e outras nem tanto. Se for pensar, até resgatamos um aluno para a aula.
Dizem que a Feira do livro estava “Bombando”. Eu não posso afirmar nada, pois infelizmente não pude comparecer.
Acredito que muitas das pessoas que abordamos compareceram, porque fizemos isso da melhor forma possível.


Thales - Turma C32

As Valkírias, de Paulo Coelho

O livro que eu li se chama ‘’As Valkírias’’.
Ele conta uma das jornadas de Paulo Coelho (que é o escritor).. Ele estava com a esposa, viajando de carro atrás de um objeto.
O seu ‘’mestre’’ era quem guiava Paulo Coelho. Eles se encontram, a esposa não estava muito feliz com aquela viagem, mas já estava se acostumando com o marido que já havia feito outras viagens daquele tipo antes, sem rumo, só seguindo o que seu ‘’mestre’’ havia lhe falado.
Eles passavam por paisagens bonitas, e os dois em silêncio o tempo todo.
A esposa perguntou se não estavam perdidos, e pra onde eles estavam indo, mas Paulo não respondia, só disse que não estavam perdidos e que não podia dizer pra onde iam, porque nem ele sabia direito.
Até aqui eu sei, o resto você tem que ler!


Agatha Fiorin
C32

Passeio

O passeio foi realizado para informar as pessoas sobre a Feira do Livro que iria acontecer na escola no fim de semana. Foram tiradas fotos e toda esta realização foi filmada. Isto foi muito bom, porque isto tinha como objetivo informar sobre o acontecimento na escola, uma realização muito legal que, além de ser para os alunos e também aberta para a comunidade, eu não notei nenhum ponto negativo neste projeto de informar pessoas. Eu gostei muito, isto poderia acontecer mais vezes. Este projeto de informação sobre a Feira do Livro foi nota 10. Espero que gostem do meu texto.


Anderson
turma C32

Será?

Foi muito bom a comparação das ovelhas com o povo, as ovelhas obedecem e acreditam em tudo o que dizem, igual ao povo.
Também a associação do cavalo Boxer com o trabalhador: trabalha muito até praticamente o final da vida e, na aposentadoria, acaba morrendo de cansaço ou doença.
Aqui no Brasil não é muito diferente, podendo se aposentar lá pelas 50 anos de idade, saúde pública das piores, se não tiver um plano de saúde se dá muito mal, podendo esperar em filas imensas e acabar morrendo.
A política do mundo todo é praticamente a mesma, políticos corruptos que roubam dinheiro público. Não é muito igual à política de uma ditadura, mas é tão prejudicial quanto.




Gustavo Leite
C31

A Greve dos Municiparios

A greve começou porque o prefeito de Porto Alegre não cumpriu o seu acordo de reajuste. Com isso, os municipários entraram em greve.
O prefeito oferece 6% de reajuste. Por unanimidade os municipários não aceitam a proposta. Mais de 95 % dos postos e das escolas param de funcionar.
O prefeito oferece 8% aos municipários para que encerrem a greve. Em assembléia os municipários aceitam a proposta.


MINHA OPINIÃO:
Se os municipários não tivessem entrado em greve, eles não conseguiriam nem esses poucos 8%.


Nome: Henrique Goulart Castelli
Turma: C32
Data:09/06/2011

Um Dia Sem Você

Passo noite e dia ao seu lado como alma gêmeas, pois sem você minha vida não tem sentido. Um dia sem você é uma eternidade para mim, porque quando estou com você me sinto melhor. você chegou assim do nada, mas logo conquistou meu coração com seu sorriso e seu jeito de ser.
Eu não aguentaria um dia sem você. minha vida não iria existir longe de você. Você é minha vida. Eu Te amo!
Jezer Christopher Reis Bergmann
Turma:C32
Data: 04/08/2011

Dois e dois : quatro, de Ferreira Gullar

É um poema muito bonito, que faz a gente pensar na vida, no dia que passa.
É um poema que fala do dia, de cada dia que passa. Foi difícil entender, mas quando entendi gostei muito.
Acho muito louco o jeito que essas pessoas (poetas) juntam o sentimento e a vida e fazem poemas.
Foi o que eu entendi.


Juliana Turma C31

Revolução dos Bichos

O filme mostra como foi a Revolução Russa, os personagens que fazem parte da história.
Tem o cavalo que era um trabalhador que trabalhava até a morte, a cachorra que lutava pela verdade por uma vida melhor e não por corrupção que foi a revolução Russa e ainda continua (pelo menos no Brasil isso continua).
Podemos destacar muitas coisas da revolução com os tempos de agora, como a corrupção que os políticos quase todos fazem, as pessoas que seguem os políticos corruptos acreditando em tudo que eles falam, mas sempre tem um ou outro político que está lá para trabalhar e não para roubar o dinheiro do povo.
Não sei mais o que pode acontecer na política, cada vez piora.
Minha opinião


Personagens que tem a ver com os personagens da Revolução Russa.
Major-Lênin
Trotsky-Snowbol
Napoleon-Stalin.




Juliana
C31

Amor não correspondido

Amor não correspondido, ou amor platônico (acho que deve ser esse nome!). Se eu estiver errada , não me culpe, pois assuntos sobre amor são complicados!
Todo mundo já sofreu com isso alguma vez na vida, se você nao sofreu com isso, sorte
a sua, pois isso não é nada bom. A maioria dos adolescentes já sofreu com isso, mas caso você ache que isso é alguma doença, não se preocupe, pois eu acho que nao é.
Caso você não saiba o que é esse tal de amor (sei lá o que é!), eu vou tentar explicar.
Amor não correspondido ou platônico, é quando você gosta de alguém (Animais ou alguma outra coisa que você possa imaginar. Não sei se você pode ter amor não correspondido com animais, por exemplo. Se você tentar beijar um cachorro, ele vai fugir de você, não é?). esse pode ter sido um bom exemplo (Eu acho!). Mas geralmente acontece com humanos. Outro exemplo:
Você se apaixona por um garoto, lindo, loiro de olhos azuis (Quem nem o da novela das 7!), só que ele te ignora, não olha pra você (Nem que você passe toda a maquiagem do mundo!)
Aií depois você vê ele de amassos com a garota que você odeia (Ou até a sua melhor amiga!), depois você corre pra casa dando patada em todo mundo, vai pro seu quarto, chorando rios de lagrimas, comendo chocolate até engordar (A mesma coisa deve acontecer com os meninos, só que eles ficam no play).
Só que depois de semanas, passa outro menino, e começa tudo de novo...E assim se repete até você encontrar alguém que te ame de verdade.
Mas será que vale a pena a gente se matar por eles ou eles por nós? Mas uma coisa é certa, nós nunca conseguimos evitar que isso aconteça!


Letícia Suellen C34

George Orwel e a Revolução dos bichos

A obra do George Orwel relata muita bem a Revolução Russa de um jeito muito interessante que acabou mostrando que os animais poderiam ter uma boa liderança e buscar seus direitos.


No filme falava sobre um porco que se chamava Napoleon que, com sua inteligência, tomou a decisão que seu povo teria direitos iguais. Chegando a essa conclusão, fez alguns mandamentos que os animais teriam que seguir se quisessem ser independentes e livres daquela política que não dava igualdade ao povo.


A Revolução quando completa e seus direitos concretizados alguém teve que assumir a liderança dos animais e seguir os mandamentos de Napoleon. Só que o porco que se mantinha no comando acabou modificando aqueles mandamentos que deviam ser seguidos. Com seu poder de liderança começou a transformar seu partido em um partido muito rígido com as regras que ele mesmo modificou.


Roger Baptista C32

Desafios do dia 25/03/2011

Este sábado foi um sábado muito desafiador, um sábado muito puxado, pois eu acordei cedo para vir para escola, me levantei, tomei meu café, me arrumei e vim para a escola. Chegando na escola eu fui primeiramente falar com minha professora sobre meu trabalho que não estava completo. A partir dai começou o verdadeiro desafio, pois eu tinha que terminar o meu trabalho e apresentar, o que era difícil pois eu tinha pouco tempo e muito trabalho pela frente. A professora me liberou as múltiplas para eu completar o meu trabalho. Ai chegando lá, o meu trabalho que estava incompleto não era compatível com o movie maker do windows XP, e começou outra corrida contra o tempo, pois eu teria de fazer outro trabalho desde o início. EU fiz mas quando estava terminando ocorreu um erro e trancou o computador.
Eu fiquei pensando que tinha perdido todo o trabalho e enlouqueci com isso. Liguei o computador e ainda com uma esperança de não ter perdido o trabalho. Mas eu tinha perdido todo meu trabalho, esforço e quase todo meu precioso e pouco tempo que tinha. Um pouco depois disso, depois de ter começado outro trabalho, eu resolvi mexer no meu pendrive e descobri que todo meu trabalho que eu tinha feito estava lá não sei como, mas estava salvo em meu pendrive. A partir desse ponto fiquei bem mais animado, pois era só fazer algumas alterações e apresentar. Mas na hora de apresentar veio o problema, este trabalho que eu sofri para fazer na escola não rodava na TV de apresentação. Eu pensei que era só salvar de um jeito diferente, fui e fiz isso mas coloquei novamente na TV e não deu, aí eu desisti.
Desse ponto fui curtir a festa, ver a apresentação da banda, a dos cães e, curtir também os aniversários de Porto Alegre e da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Anísio Teixeira.
Willow G. R. da Silva Turma C32

Poemas no Ônibus

Imprudência




No escuro da noite,
os faróis apagados.
A placa diz: Devagar!
Mas sigo indiferente.


Em rota Proibida,
passo o sinal vermelho.
Velocidade máxima, me perdendo nas
curvas do teu corpo...


Ricardo Lemos Tastch




Comentário:
Este poema me marcou, pois foi um dos poucos poemas interessantes que vi em um ônibus, e também foi porque achei que era um poema romântico, mas ele não é um poema com malícia ou que tenha alguma coisa muito pesada ou obscena e isto me chamou a atenção. Aí copiei ele. Divulguei ele porque eu achei interessante e imaginei que outras pessoas poderiam gostar também.


Willow G. R. da Silva Turma: C32

Revolução dos Bichos X Revolução Russa

Eu achei que o filme “Revolução dos Bichos”  foi uma fábula da Revolução Russa, pois os animais agiram igual aos humanos na real Revolução Russa. Teve Napoleon representando o Stálin, Snowball como Trotsky e também velho major como Lênin. Teve vários trabalhadores que acabaram morrendo com o excesso de trabalho que lhes foi exigido. Um exemplo de trabalhador  que foi morto é o Boxer, que foi o que mais trabalhou, e depois foi traído pelo governo que o entregou ao matadouro, onde acabou morto. Esse tipo de traição deve ter ocorrido bastante durante toda a Revolução Russa e até hoje. (Os idosos de hoje têm deixado para  se aposentar cada vez mais tarde, porque quando se aposentam acabam morrendo, porque recebem do governo menos que um salário mínimo e, quando adoecem, acabam tendo que ir para o SUS e lá não tem equipamento necessário e acabam morrendo). Outra traição que ocorreu no filme que pode ter ocorrido na Revolução Russa foi o que aconteceu com Jessi, que teve seus filhotes recolhidos para serem usados no “Exército” na proteção de políticos etc.

A nossa sociedade não está muito diferente das revoluções , pois os três têm injustiças e políticos não fazem nem força e ganham quase 30 mil reais de salário. Os médicos e bombeiros que trabalham muito e salvam vidas, muitas vezes não ganham nem 1/3 dos salários dos políticos.

O mais importante é que, se soubermos entender o filme, entenderemos a Revolução Russa.


Nome: Willow G. R. da Silva

Turma: C32

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A Sombra do Vento

O nome do livro que eu li se chama A Sombra do Vento. É um livro muito bom.
Ele fala sobre  uma biblioteca  que tem uns livros bons.  Um homem levou seu filho para a biblioteca de madrugada e seu filho achou muito bom. Ele pode conhecer livros que nunca viu. Eu recomendo este livro para pessoas que amam ler assim como eu. Mas leia com vontade, eu aposto que  você vai gostar.
Rafaela - Turma C32

COMENTÁRIO SOBRE O POEMA DOIS E DOIS SÃO QUATRO DO FERREIRA GULLAR

"Dois e Dois são Quatro"

Como dois e dois são quatro
Sei que a vida vale a pena
Embora o pão seja caro
E a liberdade pequena
Como teus olhos são claros
E a tua pele, morena
como é azul o oceano
E a lagoa, serena

Como um tempo de alegria
Por trás do terror me acena
E a noite carrega o dia
No seu colo de açucena

- sei que dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
mesmo que o pão seja caro
e a liberdade pequena.

Eu achei esse texto lindo, o autor Ferreira Gullar conseguiu fazer um texto delicado e com carinho, mas ao mesmo tempo sobre a segunda guerra mundial .
Em 1945 estava acontecendo a segunda guerra mundial, e nessa época a liberdade era muito  pouca   e o pão, como outras coisas, era caro. Ele coseguiu resumir o que estava sentindo e vivendo.
Ferreira Gullar, mesmo vivendo numa época cruel e triste, sabia que a vida valia a pena viver, ou seja,  todo mal termina, então vem o bem que todos esperam.
Maria de Cassia Kemper
11 de agosto de 2011

Por que o rock n’ roll combina com um mundo melhor?

    Em primeiro lugar, pra mim, o rock n’ roll se foi junto com os anos 70,80 e 90. E algumas legiões que restaram, foram  completamente acabadas com uma coisinha chamada MTV.
“Para todos que são do rock n’ roll, nós saudamos você” - já dizia com sábias palavras a banda australiana AC\DC.
    O que seria o rock n’ roll?
    Para alguns, comprar um vinho vagabundo, um maço de cigarros e ir pra redenção.
    Para outros, é um estilo de vida, não adaptado com o homem e suas leis hipócritas.
    Não seria a velha conhecida “Anarquia”; mas sim uma outra compreensão do que seria viver e de como aproveitar a vida.
    Pra mim, isso que seria o ROCKN’ ROLL.
    Combinaria com um mundo melhor, pelas idéias, pelo jeito de ver a vida com outros olhos.
    O rock n’ roll é muito mais que a música. Claro que ela tem uma grande influência  sobre tal estilo de vida. Com gênios como: Ozzy   Osbourne, Kurt  Cobain...
    E no cenário nacional, o grande Renato Russo.
    É por isso e muitas outras coisas, que eu acho que o rock n’ roll combina sim com um mundo melhor. Apenas de que hoje são poucas as pessoas que entendem o que seria o real sentido do ROCK N’ ROLL...

Texto de Leandro Lopes C31
Digitado por Dionathan Silveira C31

terça-feira, 20 de setembro de 2011

ANÍSIO 18 ANOS

video

Edição: Ana Cristina Borsatto

ENTREVISTA COM A DIRETORA

video

O MAPA

video

ANÍSIO TEIXEIRA(1900- 1971)

Anísio Teixeira, o defensor da escola pública na teoria e na prática
O pensador propôs e executou medidas para democratizar o ensino brasileiro e defendeu a experiência do aluno como base do aprendizado

Considerado o principal idealizador das grandes mudanças que marcaram a educação brasileira no século 20, Anísio Teixeira (1900-1971) foi pioneiro na implantação de escolas públicas de todos os níveis, que refletiam seu objetivo de oferecer educação gratuita para todos. Como teórico da educação, Anísio não se preocupava em defender apenas suas idéias. Muitas delas eram inspiradas na filosofia de John Dewey (1852-1952), de quem foi aluno ao fazer um curso de pós-graduação nos Estados Unidos.
Dewey considerava a educação uma constante reconstrução da experiência. Foi esse pragmatismo, observa a professora Maria Cristina Leal, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, que impulsionou Anísio a se projetar para além do papel de gestor das reformas educacionais e atuar também como filósofo da educação. A marca do pensador Anísio era uma atitude de inquietação permanente diante dos fatos, considerando a verdade não como algo definitivo, mas que se busca continuamente.
Para o pragmatismo, o mundo em transformação requer um novo tipo de homem consciente e bem preparado para resolver seus próprios problemas acompanhando a tríplice revolução da vida atual: intelectual, pelo incremento das ciências; industrial, pela tecnologia; e social, pela democracia. Essa concepção exige, segundo Anísio, "uma educação em mudança permanente, em permanente reconstrução".
Aprendizado na ação
As novas responsabilidades da escola eram, portanto, educar em vez de instruir; formar homens livres em vez de homens dóceis; preparar para um futuro incerto em vez de transmitir um passado claro; e ensinar a viver com mais inteligência, mais tolerância e mais felicidade. Para isso, seria preciso reformar a escola, começando por dar a ela uma nova visão da psicologia infantil.
O próprio ato de aprender, dizia Anísio, durante muito tempo significou simples memorização; depois seu sentido passou a incluir a compreensão e a expressão do que fora ensinado; por último, envolveu algo mais: ganhar um modo de agir. Só aprendemos quando assimilamos uma coisa de tal jeito que, chegado o momento oportuno, sabemos agir de acordo com o aprendido.
Para o pensador, não se aprendem apenas idéias ou fatos, mas também atitudes, ideais e senso crítico — desde que a escola disponha de condições para exercitá-los. Assim, uma criança só pode praticar a bondade em uma escola onde haja condições reais para desenvolver o sentimento. A nova psicologia da aprendizagem obriga a escola a se transformar num local onde se vive e não em um centro preparatório para a vida. Como não aprendemos tudo o que praticamos, e sim aquilo que nos dá satisfação, o interesse do aluno deve orientar o que ele vai aprender. Portanto, é preciso que ele escolha suas atividades.
Por tudo isso, na escola progressiva as matérias escolares — Matemática, Ciências, Artes etc. — são trabalhadas dentro de uma atividade escolhida e projetada pelos alunos, fornecendo a eles meios de desenvolver sua personalidade no meio em que vivem. Nesse tipo de escola, estudo é o esforço para resolver um problema ou executar um projeto, e ensinar é guiar o aluno em uma atividade.
Quanto à disciplina, Anísio afirmava que o homem educado é aquele que sabe ir e vir com segurança, pensar com clareza, querer com firmeza e agir com tenacidade. Numa escola democrática, mestres e alunos devem trabalhar em liberdade, desenvolvendo a confiança mútua, e o professor deve incentivar o aluno a pensar e julgar por si mesmo. "Estamos passando de uma civilização baseada em uma autoridade externa para uma baseada na autoridade interna de cada um de nós", diz ele em seu livro Pequena Introdução à Filosofia da Educação.
Como preparar o professor para essa tarefa hercúlea da escola de hoje, ocupada por tantos alunos que não se contentam em aprender apenas as técnicas e conhecimentos mais simples mas também as últimas conquistas da ciência e da cultura? O que fazer quando eles exigem informações até mesmo sobre tendências indefinidas e problemas sem solução? Para responder a tantas questões, os educadores do mundo todo precisarão de novos elementos de cultura, de estudos e de recursos, propôs o pensador, que na prática instalou novos cursos para professores. Só assim, dizia, os mestres tentarão renovar a humanidade para "a grande aventura de democracia que ainda não foi tentada".
A escola pública e integral como solução
Para ser eficiente, dizia Anísio, a escola pública para todos deve ser de tempo integral para professores e alunos, como a Escola Parque por ele fundada em 1950 em Salvador, que mais tarde inspiraria os Centros Integrados de Educação Pública (Cieps) do Rio de Janeiro e as demais propostas de escolas de tempo integral que se sucederam. Cuidando desde a higiene e saúde da criança até sua preparação para a cidadania, essa escola é apontada como solução para a educação primária em seu livro Educação Não É Privilégio. Além de integral, pública, laica e obrigatória, ela deveria ser também municipalizada, para atender aos interesses de cada comunidade.
O ensino público deveria ser articulado numa rede que se estendesse até a universidade. Anísio propôs também a criação de fundos financeiros para a educação, mas, mesmo com o atual Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), os recursos são insuficientes para sustentar esse modelo de escola.


Fernando de Azevedo, reformador do ensino público, com normalistas da Escola Caetano de Campos: Manifesto da Escola Nova
Um tempo em que a educação virou meta política
Nos anos 1920, com a crescente industrialização e a urbanização em todo o mundo, a necessidade de preparar o país para o desenvolvimento levou um grupo de intelectuais brasileiros a se interessar pela educação — vista como elemento central para remodelar o país. Inspirados nas idéias políticas de igualdade entre os homens e do direito de todos à educação, os novos teóricos viam num sistema estatal de ensino público livre e aberto o único meio efetivo de combate às desigualdades sociais. Esse movimento chamado de Escola Nova ganhou força nos anos 1930, principalmente após a divulgação em 1932 do Manifesto da Escola Nova.
O documento pregava a universalização da escola pública, laica e gratuita. Entre os nomes de vanguarda que o assinaram estavam, além de Anísio Teixeira, Fernando de Azevedo (1894-1974), que aplicou a sociologia na educação e reformou o ensino em São Paulo nos anos 1930, o professor Lourenço Filho (1897-1970) e a poetisa Cecília Meireles (1901-1964). A atuação desses pioneiros se estendeu por décadas, muitas vezes criticada pelos defensores da escola particular e religiosa. Mas eles ampliaram sua atuação e influenciaram uma nova geração de educadores como Darcy Ribeiro (1922-1997) e Florestan Fernandes (1920-1995). Anísio foi mentor de duas universidades: a do Distrito Federal, no Rio de Janeiro, desmembrada pela ditadura Vargas, e a de Brasília, da qual era reitor quando do golpe militar de 1964.


Retirado da Revista Nova Escola edição 178 - dez/2004
http://revistaescola.abril.com.br

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

A revolução

No filme mostra Napoleon, que se aproveitava de ser líder e tinha vários previlégios que os
outros não tinham. Como Napoleon, Nicolau II governava a Rússia de forma absolutista,
sem nenhuma democracia .
Jessi é uma cadela que quer fazer uma revolução, como Lênin. Os dois tem como objetivo
derrubar o absolutismo e implantar o socialismo. Tanto Jessi como Lênin conseguem
alcançar seus objetivos, que era o de assumir o comando e implantar o socialismo.
Hoje em dia na nossa sociedade temos vários corruptos, como Napoleon, que fez muitas promessas e não cumpriu.
No filme também mostra Boxer, um cavalo que trabalhou muito e depois acabou morrendo. Dá para se comparar com os trabalhadores, que trabalham muito e na hora de se aposentar morrem na fila do SUS.




Nome: Henrique Castelli
Turma: C32
(texto produzido na aula de História, com a professora Laura Schu)

O Livro Que Li


Eu li “Senhor dos Anéis”. É a historia de Frodo Bolseiro. Frodo, sendo um hobbit e segundo há informações dados por personagens do livro, ele é um dos poucos que resiste ao grande mal de Sauron, Senhor do Escuro que colocou sua toda sua maldade em um pequeno objeto: um anel. Esse anel penetrava nas almas dos homens e outros seres e fazia os mesmos se transformarem completamente! Eles acabavam  ficando obcecados pelo Anel. Porém, Frodo era uma das poucas pessoas que não eram consumidas pelo Anel, já que tinha uma alma pura e bondosa. Ele é encarregado da maior tarefa de sua vida: carregar o Anel até a Montanha de Fogo aonde foi forjado e arremessá-la ao fogo. A tal dita “montanha” é o ponto central de Mordor, os domínios do Senhor do Escuro.
Escrito por J.R.R. Talkien. Um verdadeiro gênio da literatura medieval. Com o inicio da escrito em 1932 e término em 1949, o Senhor dos Anéis, mudou a literatura da época.



Três Anéis para os Reis Elfos, sobre este céu”.
Sete Anéis para os Reis Anões, em seus rochosos corredores”.
Nove Anéis para os Reis Homens, fadados ao Eterno Sono”.
E Apenas Um Anel, para o Senhor do Escuro em seus Escuro Trono”
Na Terra de Mordor, aonde as sombras se deitam...”
Um Anel para a todos governar. Um Anel para encontrá-los.”
Um Anel para a todos trazer e nas trevas aprisionar.”
Na terra de Mordor aonde as sombras se deitam”
(opus cit)



Gabriel Duarte de Vargas
C32
(texto produzido na aula de Português, com a prof Ana Zatt)






quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Robótica

Reportagem do dia 26 de agosto de 2011. O aluno Dionathan, da turma C34, vai à oficina de  robótica e entrevista a professora Luiza e seus  alunos.  Confiram o depoimento abaixo.



Na robótica existe um misto de companheirismo e aprendizagem, respeito e tecnologia.
Quando cheguei lá, eu fiquei meio perdido, mas os alunos me esclareceram algumas coisas, como técnicas usadas na programação e a montagem com lego (lego são peças quadriculadas que podem adotar qualquer tipo de forma:carro, casa, robô e etc).
        Dizem que tem que ter uma certa imaginação  (algo que não falta nos alunos da robótica). E tem um momento de reunião, que é para saber  as idéias dos outros, fora mostrar suas próprias idéias - que eu presenciei. A de hoje era composta por três tipos de técnicas: textual, desenhada e montagem; E logo vi um protótipo de elevador para deficientes cadeirantes, que, na nossa população, é composta de 30%. Tal idéia foi apresentada pela aluna Carol e mostrou, ou melhor, todos mostraram que a tecnologia é algo sem limites, que podemos usá-la para várias coisas vida, inclusive para ajudar o nosso  próximo com boa afeição.
        Concluindo com minha última opinião: a robótica está à nossa volta. Cabe a nós entendê-la e usá-la para o crescimento do nosso país.

O antigo e o atual estão bem próximos

         No começo,  quando vi o filme “A Revolução Dos Bichos”, não tinha gostado, mas prestei melhor minha atenção e vi que é bem parecido com os dias de hoje:  mesmo sendo “capitalistas” sofremos abuso de poder com alguns políticos corruptos que temos hoje em dia em nosso país mudando ou modificando algumas coisas  das nossas leis que, às vezes, não percebemos. Eu acho que nós devemos escolher melhor nosso líderes.        
Devemos escolher  mais “Trotskys” do que os “Stalins“ para estar comandando nosso país. Assim, que o filme me mostrou  qua a história antiga está ainda em nosso meio mesmo a gente sendo capitalista. Ainda tem pessoas que creem nos repetidores que  nada mais são do que pessoas que repetem o que os canditados dizem ou prometem.  Ou seja, devemos ter as nossas escolhas e ideias para podermos ter um país  melhor. Não devemos deixar ficar igual à revolução dos bichos.


( texto de Dionathan Ramos,  C34, produzido para a aula de História, com professora Laura Schu)